Fundaj e Universidade de Coimbra iniciam programação comemorativa pelos 200 anos da Independência do Brasil

Atividades desta quarta-feira (7) incluíram conferência sobre o papel de Pernambuco nos movimentos de 1822, abertura de exposição e lançamento de nova edição de biografia de Camões escrita por Joaquim Nabuco.

Em comemoração à Independência do Brasil, que completou 200 anos neste 7 de Setembro, a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) iniciou, nesta quarta-feira (7),  uma programação em parceria com a Universidade de Coimbra (UC), em Portugal. As primeiras atividades foram uma reunião sobre uma ação conjunta para o curso de pós-graduação em museologia e uma conferência ministrada pelo presidente da instituição, Antônio Campos, sobre o papel de Pernambuco no processo que levou à formação do País. Também aconteceu o lançamento de uma nova edição da biografia de Luís de Camões escrita por Joaquim Nabuco, com uma palestra sobre a obra. A agenda se estenderá até o dia 10.

A programação começou em Coimbra, às 9h (horário de Lisboa), com uma reunião entre representantes das duas instituições para discutir uma parceria no Programa de Pós-Graduação em Museologia oferecido pela Fundação. À noite, o presidente da Fundaj, Antônio Campos, conduziu a conferência “A Independência do Brasil a partir de Pernambuco”, em que debateu o legado do movimento independentista de 1822. “A independência brasileira teve características peculiares e importantes no cenário internacional e de época. Duzentos anos depois, a sociedade, a economia, brasileira e mundial, atravessam um período de transformações radicais. Alguns desafios brasileiros ainda não foram superados e surgem outros, e imensos, para tornar uma nação integrada e independente”, observou.

O vice-reitor da UC para as Relações Externas, João Nuno Calvão da Silva, agradeceu a parceria em uma data tão especial para a História dos países que carregam em comum inúmeros traços culturais.Após ter sido exibida no Recife, esta riquíssima mostra organizada pela Biblioteca Geral e pelo Arquivo da UC será finalmente inaugurada em Coimbra, com a presença de parceiros como o Presidente da Fundação Joaquim Nabuco. Será mais um marco na promoção do diálogo e da cooperação entre Brasil e Portugal”, afirma

Após a conferência, durante a abertura de uma exposição comemorativa ao Bicentenário, houve o lançamento de uma nova edição do livro “Camões e os Lusíadas”. A biografia, publicada em 1872 por Joaquim Nabuco, conta a trajetória do poeta português até a concepção da renomada epopeia. A reedição marca, ainda, os 450 anos da obra, considerada um marco na história da língua portuguesa.

O diretor de Memória, Educação, Cultura e Arte da Fundaj, Mario Helio, apresentou o novo trabalho e fez uma explanação sobre a obra. “Camões e os Lusíadas” traça a biografia do poeta português até a concepção da sua renomada epopeia que, no ano em que o ensaio foi lançado, completava três séculos. Em 2022, esta reedição marca os 450 anos de publicação de ‘Os Lusíada’ poema épico inserido no hall das obras mais importantes da literatura de língua portuguesa.“

Exposição

A exposição, exibida na Fundaj em março deste ano, ressalta as relações pré e pós-coloniais entre Brasil e Portugal. Nela, destacam-se peças como o documento de matrícula do primeiro aluno natural do Brasil em Coimbra – Manuel de Paiva Cabral, que frequentou a instituição de ensino entre 1574 e 1586; a primeira edição do poema “Caramuru, poema épico do descobrimento da Bahia”, do frei Santa Rita Durão; uma notícia do jornal O Paraense, impresso no dia da independência, antes da proclamação; entre outros. A mostra, que segue aberta até o dia 30 de setembro, é realizada em parceria com a Associação da Imprensa de Pernambuco, a Associação Portuguesa de Imprensa, o Instituto Camões e a Embaixada de Portugal no Brasil.

Agenda

As atividades seguem ao longo de setembro. No dia 8, os representantes da Fundaj participam de um almoço com o professor Arnaldo Saraiva, da Universidade do Porto, na cidade do Norte de Portugal. Depois, fazem uma visita à Fundação Serralves e ao Instituto Pernambuco-Porto. No dia seguinte, seguem para Lisboa, onde visitam a Fundação Calouste Gulbenkian, às 15h, e, em seguida, partem para a Fundação José Saramago, onde serão recebidos pela presidente da entidade, a escritora e viúva do romancista, Pilar del Río. Em 10 de setembro, eles visitam a Feira do Livro de Lisboa e se encontram com o embaixador do Brasil em Portugal, Raimundo Carrero.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.