Carlos Brandão: Um Maranhão de emoções

Ter a possibilidade de estar à frente dos destinos do estado que amamos é algo que mexe muito com nossas emoções. No entanto, a tomada de decisão do dia a dia requer que se mantenha o equilíbrio necessário com a razão. E essa relação deve ser muito bem construída. É exatamente isso que tenho procurado fazer como governador. Não é fácil lidar com situações em que é possível ferir suscetibilidades, mas que são necessárias para o desenvolvimento do trabalho. Por outro lado, como não se contagiar com a emoção das respostas que recebemos, principalmente nas ruas, diante das decisões que tomamos?

Esta semana será de uma intensidade ainda maior do que a que estamos tendo normalmente. Por isso, resolvi escrever sobre a emoção que tenho sentido por onde passo, me antecipando a um evento que faremos para consolidar o meu nome, o do Flávio, o do Camarão e de nossas aliadas e aliados para a disputa eleitoral deste ano: nossa convenção partidária. Por enquanto, estamos percorrendo o estado com o evento “O Maranhão não pode parar”, apresentando nossas ideias e resgatando tudo o que conseguimos fazer nos últimos anos. A sensação é a de que o Governo, sob a direção do governador Flávio Dino, construiu muito. Vamos construir ainda mais.

Nessas andanças não tem como não se emocionar com as inúmeras demonstrações de carinho que temos recebido. Gente que se sente incluída e que se vê diante de novas perspectivas de futuro. Com certeza não acertamos em tudo e não conseguimos fazer tudo aquilo que gostaríamos. Afinal, além da crise econômica mundial que enfrentamos – e até impeachment de presidente -, tivemos que aprender a lidar com algo inesperado e que destroçou famílias mundo afora. A epidemia da covid-19 foi uma grande prova do que é se manter equilibrado para governar, diante de uma avalanche de emoções. Mas o aperto de mãos; o olhar de atenção; a receptividade dos abraços das pessoas que nos encontram, nos diz que seguimos no caminho certo. Fomos o estado que melhor enfrentou a questão da pandemia no país; com o planejamento e a coragem de se jogar de frente diante de algo tão desconhecido. O mais importante, para todos nós, sempre foi a vida.

No próximo sábado confirmaremos oficialmente, em nossa convenção, aceitar a missão de lutar para que possamos continuar o trabalho iniciado lá em 2015. Nos encontros que estamos realizando, por todo o Maranhão, já sentimos a noção exata do tamanho da responsabilidade que temos em avançar no fortalecimento das políticas públicas e na geração de emprego e de renda para a nossa gente. É um compromisso – não de momento, mas de vida. Continuar governando o Maranhão será uma grande oportunidade de colocar em prática tudo aquilo que aprendi ao logo dos meus mais de trinta anos de ficha limpa no serviço público.

Conheço o estado como poucos, tanto territorialmente quanto administrativamente; e me sinto preparado.
Sei de que não será fácil, no próximo sábado, diante de milhares de conterrâneos, segurar um Maranhão de emoções. Emoções que, certamente, falarão mais alto do que a razão. Então, que assim seja! Que façamos um grande encontro, acima de qualquer coisa. De olho no olho; de contato direto com todos aqueles que lutam pelo bem do Maranhão. Todos que acreditam que, diante de tantas e tantas conquistas, O MARANHÃO NÃO PODE PARAR!

*Governador do Maranhão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.