PERSEGUIÇÃO E ASSÉDIO MORAL | Deputada Thaiza denuncia pedido de afastamento da promotora Lítia Cavalcanti do caso dos ferry-boats

A deputada estadual Dra. Thaiza Hortegal divulgou um vídeo em suas redes sociais e uma Nota de Repúdio em defesa da Dra. Lítia Cavalcante denunciando o pedido de afastamento da promotora do caso dos ferry-boats. A parlamentar diz que o pedido partiu do Governo do Maranhão e considera um desrespeito a um membro do Ministério Público do Estado diante do importante trabalho que ela vem desempenhando em defesa da população da Baixada e do Litoral maranhense, investigando as irregularidades das embarcações e do serviço prestado pela MOB.

“Venho repudiar esse ato covarde, perseguidor, esse ato desrespeitoso com uma mulher que já atua há 29 anos, nenhum dos seus processos ou inquéritos teve algo que manchasse a sua imagem de mulher íntegra, de caráter, de personalidade. Quero fazer um apelo aos prefeitos da Baixada e do Litoral maranhense, aos deputados, para que possamos unir forças. O governo conseguiu isolar a Baixada, querem calar a voz da Assembleia Legislativa, tanto que não conseguimos a CPI. E agora querem calar a voz de uma promotora?”, disse a deputada no vídeo.

A Nota de Repúdio também divulgada pela parlamentar revela que o Ministério Público, através da promotora Dra. Lítia Cavalcanti, entrou com a Ação Civil Pública na Vara de Interesses Difusos e Coletivos contra o Estado do Maranhão e contra a Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), na sexta-feira (15). A deputada Thaiza alega ainda a instrumentalização do MPMA contra opositores ao governo no caso dos ferry-boats.

“Alerto para o nítido e notório comportamento de instrumentalização do Ministério Público em desfavor dos opositores do Governo do Estado com o intuito de silenciar os que denunciam as mazelas do Poder Executivo Estadual, o que considero algo de extrema gravidade. Entendo também que os atos até aqui praticados a esse respeito são passíveis de apuração pelo Conselho Nacional do Ministério Público, a fim de garantir a autonomia da instituição e dos seus membros, e a segurança da promotora Lítia Cavalcanti”, disse a deputada Thaiza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.