Solidariedade marca celebrações de São João na Fundaj

De 17 a 19 de junho, a instituição abre o ‘Arraial Solidário de seu Nabuco’, com aula espetáculo, exposição, filme e apresentações musicais e brincadeiras. O público é convidado a levar donativos para as vítimas da chuva em Pernambuco. Programação será lançada na segunda (13) às 14h.

Entre os próximos dias 17 e 19, a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) realiza sua celebração junina, batizada de Arraial Solidário de Seu Nabuco, com uma programação que reúne atrações culturais e ações de ajuda ao próximo. Durante o período, será reforçada a arrecadação de roupas, colchões, itens de higiene pessoal e alimentos não perecíveis, que a Fundação Joaquim Nabuco vem realizando em seus campus e entregando para a distribuição da Central Única das Favelas em Pernambuco (Cufa/PE), ajudando as famílias atingidas pelas fortes chuvas das últimas semanas. O evento será centralizado no campus Gilberto Freyre da Fundaj, em Casa Forte.

Detalhes da programação serão apresentados à imprensa no dia 13 de junho, às 14 horas. Ela contará com a exposição “Devoção e diversão: as tradições do São João Nordestino”, na galeria Waldemar Valente, ações do educativo do Museu do Homem do Nordeste, brincadeiras e espetáculo, retomando o espírito junino que passou dois anos afastado das ruas do Nordeste. “Nesse período, a Fundação Joaquim Nabuco levou a festa ao público em casa, por meio de seu canal do YouTube, cumprindo seu papel de instituição de Educação, Memória e Cultura. Para este ano de 2022, preparamos uma programação presencial. Desta vez, focamos na ação cultural, mas sem perdermos de vista a necessidade maior do momento, a solidariedade com as famílias desabrigadas pelas fortes chuvas”, afirma Antônio Campos, presidente da Fundaj.

A programação cultural volta a mergulhar nas principais expressões das festas juninas nordestinas, como as quadrilhas, o forró e a gastronomia local, além da imersão didática pelos símbolos e história das festividades promovidas pelo educativo do Muhne, assim como a exposição da Biblioteca Blanche Knopf, além do grande espetáculo “Bandeira de São João”, de Ronaldo Correia de Brito, Antonio Madureira e Assis Lima.

“As festas têm uma história e histórias e, sobretudo, símbolos que terminaram hoje em dia por parecer tão misteriosos como as adivinhações de antigamente. Um pouco de tudo isso será explicado até didaticamente pelo Educativo do Museu do Homem do Nordeste na festa deste ano aos seus alunos, e pelo escritor Ronaldo Correia de Brito a todo o público presente ao espetáculo ‘Bandeira de São João’, de que é autor, em parceria com Francisco de Assis Lima e Antônio José Madureira”, explica Mario Helio, diretor de Memória, Educação, Cultura e Arte da Fundaj.

“Bandeira de São João” será apresentado no sábado (18), realizando um passeio pelas mais diversas facetas do festejo junino, desde seu aspecto rural e nordestino, mas indo também para suas origens pagãs, sua relação com as estações do ano e as colheitas, transcendendo o puramente regional. Sua apresentação dentro da programação do Arraial Solidário de Seu Nabuco vem para celebrar o retorno dos encontros que esse período do ano promove pelo Nordeste do Brasil.

“Foi uma penitência para os nordestinos ficarem dois anos sem São João. Essa é a mais popular de nossas festas, mais do que o próprio Carnaval, porque é celebrada não apenas nas cidades. Onde existe um ajuntamento de pessoas, o São João é festejado com algum de seus símbolos, comida, dança, fogueira, brincadeiras. Bandeira celebra um São João universal, incorporado das culturas pagãs pelo cristianismo. Trazer para as pessoas um pouco desse universo é motivo de muita alegria”, elabora Ronaldo Correia de Brito, um dos idealizadores do Bandeira de São João.

Exposição

Reforçando a proposta de resgatar as tradições do ciclo junino no Nordeste, por uma perspectiva religiosa e lúdica, a Biblioteca Blanche Knopf realiza a exposição “Devoção e diversão: as tradições do São João Nordestino”, contando a história de Santo Antônio, São João e São Pedro. Com textos e fotos em painéis, a mostra também terá a reprodução de superstições, como as simpatias da faca na bananeira, da aliança no copo d´água e da flor embaixo do travesseiro, e de brincadeiras populares, incluindo jogo de argolas e pescarias, além de varal com receitas típicas.

Outro destaque da mostra, que ficará disponível na Galeria Waldemar Valente a partir de 13 de junho, serão as imagens dos três santos juninos. As peças, adquiridas pela Fundaj entre as décadas de 1960 e 1980, foram produzidas por artistas pernambucanos de Caruaru e Carpina e fazem parte do acervo do Museu do Homem do Nordeste. Além disso, os visitantes poderão conhecer os acervos bibliográfico e iconográfico sobre a festa, com livros e folhetos sobre as tradições ligadas ao período e painéis de fotos históricas.

Exibição do São João Sinfônico

Misturando o erudito com o popular, o Festival São João Sinfônico 2022 será exibido no Cinema da Fundação/Museu, no dia 13, com sessões gratuitas às 19h, 20h e 21h. O espetáculo apresenta as mais conhecidas músicas juninas, todas encantadoramente repaginadas. Geraldinho Lins, Petrúcio Amorim e Quinteto Violado foram os solistas convidados dessa edição, e se juntaram a 32 instrumentistas da Orquestra de Câmara de Pernambuco (OCPE), todos regidos pelo maestro José Renato Accioly, para tocar as canções com arranjos do maestro Sérgio Campelo. Já os dançarinos Josy e Tico Caxiado, do Balé Cultural de Pernambuco, fizeram a conexão das músicas com as danças populares.

As apresentações, gravadas nas noites dos dias 22 e 23 de abril, no Teatro de Santa Isabel, compõem um programa de 40 minutos. O evento foi produzido por Carla Navarro e dirigido por Fabiana Tavares, e conta também com as participações do Duo Paula Buges e Pedro Huff, Trio Tamboreando e Beto Hortis.

Apresentações musicais

Já a programação musical contará com vozes tradicionais de ritmos locais como o forró e coco, como Ed Carlos, Erica Natuza, Novinho da Paraíba, Cilene Araújo, Dudu do Acordeon e Mestre Zeca do Rolete, além do Coral da Fundaj e da apresentação da quadrilha junina Raio de Sol. São grandes nomes que prometem fazer o público se reconectar com ainda mais força ao clima das nossas tradicionais festas, além de resgatarem a memória dos grandes que já se foram.
“Iremos fazer um passeio pelo cancioneiro popular das músicas que embalam o São João. Todo o universo gonzaguiano, Jackson do Pandeiro, Trio Nordestino, com muito forró, xote, baião, xaxado, arrasta-pé. Eu tenho muito orgulho de cantar essa música pelo mundo e, agora, na Fundaj, que tem a tradição de valorizar a cultura pernambucana e seus artistas. Um espaço cultural que sempre pensa na gente”, afirma Ed Carlos.
Oficinas e brincadeiras
Para as crianças e toda a família, o Educativo do Muhne está preparando uma série de atividades. Nos três dias da programação, após a visita guiada à exposição “Devoção e diversão”, serão oferecidas duas oficinas que remetem à festividade. A primeira, a partir das 17h, é a de “Noites Festivas de São João”, que focará na história do ciclo junino, nos santos e nas adivinhações. Já na segunda, “Símbolos juninos”, que começa depois da visitação às 18h, os participantes vão aprender a fazer os símbolos juninos, como as bandeirinhas e fogueiras. O Educativo também fará brincadeiras como jogo de argolas, pescaria e touro mecânico.  “Vamos fazer jus à palavra ‘tradição’. Por meio das oficinas, vamos trazer um pouco da originalidade que essa festa tem. A ideia é que a gente apresente para as crianças e o público em geral as brincadeiras, as adivinhações, os ritmos, os enfeites… Tudo isso está presente na trajetória das festas juninas que marcam o imaginário forte do Nordeste”, afirma Edna Silva, coordenadora do Educativo do Muhne. “O fato de a festa ser aberta ao público casa com as ações que a própria instituição vem fazendo ao longo da história. Nós somos uma coordenação de ações educativas e comunitárias”. Ação Fundaj Solidária em parceria com a Cufa/PE
Traga donativos (roupas, colchões, alimentos não perecíveis, materiais de limpeza, água, entre outros itens de consumo para ajudar as famílias que ficaram desabrigadas pelas chuvas. Essa ação Fundaj Solidária é realizada em parceria com Central Única de Favelas em Pernambuco (Cufa/PE), que fará a distribuição dos itens arrecadados às famílias.  Programação:
Dia 13
14h- Lançamento da Programação do Arraial Solidário de Seu NabucoHall do Museu do Homem do Nordeste
14h30 – Abertura da exposição “Devoção e Diversão: as tradições do São João nordestino”Com acervo das publicações da Biblioteca Blanche Knopf, a mostra trará a história de São João, São Pedro e Santo Antônio, além das brincadeiras e superstições características do ciclo junino Sala Waldemar ValenteDe 13 de junho a 13 de julhoTerça às sextas-feiras das 9h às 17hFim de semana e feriados das 13h às 17h
Exibição do Festival São João SinfônicoCinema da Fundação/Museu – Av. Dezessete de Agosto, 2187 – Casa ForteSessões: 19h, 20h e 21h
Entrada gratuita
17 a 19 – Aberto ao público
Oficinas Educativas17h – Visita guiada  à exposição  “Devoção e Diversão: as tradições do São João nordestino” na Waldemar Valente, seguida da oficina “Noites Festivas de São João”
18h – Visita guiada  à exposição  “Devoção e Diversão: as tradições do São João nordestino” na Waldemar Valente, seguida da oficina “Símbolos Juninos” BrincadeirasBarracas com pescaria, jogo de argolas e touro mecânico. Pólo GastronômicoBarracas de comidas típicas juninas.

Programação:

Apresentações

17/06 – 14h às 16h – São João dos colaboradores da FundajBingo junino e Banda Vinil Gonzagueira  Abertas ao público17h –  Coral da Fundaj

18h – Quadrilha Junina Raio de Sol

19h –  Ed Carlos20h – Érica Natuza

18/06 – Aberto ao público

17h – Aula espetáculo Bandeira de São JoãoA aula espetáculo Bandeira de São João será representada na Fundação Joaquim Nabuco, numa festa com fogueira, cortejo de Acorda Povo e histórias sobre a origem de uma das mais populares festas brasileiras, sobretudo no Nordeste. São 12 músicas compostas pelo maestro e compositor Antônio Madureira, em parceria com os letristas Ronaldo Correia de Brito e Assis Lima, formando um painel único de musicalidade do ciclo junino

19h – Novinho da Paraíba

20h – Cilene Araújo

19/06 –  Aberto ao público

17h – Apresentação do Mestre Zeca do Rolete (coco e ciranda)

18h – Bacamarte

19h – Quadrilha Junina Raio de Sol

20h – Dudu do Acordeon

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.