Mostra Correnteza estreia no  Cinema da Fundação

Série reúne curtas e longa produzido por países americanos a partir da experiência de pessoas que vivenciaram a diáspora

A primeira edição da Correnteza – Mostra Internacional de Cinema Atlântico tem o Cinema da Fundação como sua casa. Idealizada pelas pesquisadoras e curadoras Rayanne Layssa e Mariana Souza, o projeto o Brasil com todo o território americano a partir do audiovisual, trazendo a produção de artistas que vivenciaram processos de diáspora. A partir desta quinta-feira, cinco programas de curtas e sessões especiais de longas serão exibidos na sala do Museu até o próximo sábado (16), com entrada gratuita.

Ao todo, são 26 curtas que ocupam a programação plural, a partir de um desejo das idealizadoras em abrir uma nova janela de exibição para filmes que não costumam entrar nos grandes festivais hegemônicos. A principal diretriz é promover o encontro entre espectadores desse lugares tão distantes e tão próximos ao mesmo tempo, conectados pelo Oceano Atlântico. Eles estão divididos em cinco programas, batizados de “Reapropriar, renegar e pertencer”, “Histórias que contam da gente”, “esos recuerdos no son mios”, “Ilhas de Sentimento” e “Castelos de areia”,  além da exibição especial do longa Cavalo, de Rafhael Barbosa e Werner Sall.

Uma outra sessão especial é montada em parceria com o panamenho Festival Nacional de Cine Pobre, o Panalândia, que, assim como Correnteza, busca o fortalecimento de uma cultura cinematográfica a partir da diversidade. A parceria trará uma exibição especial na sexta-feira, com os filmes ’Djaba Werã’, de Duiren Wagua, ‘Darién – Vienen O Van’, de Andrea Victoria Calderón, ‘Barrio de Soneros’, de Jorvan D’orcy, ‘Desde de Casa’, de Jaime Abrahms e ‘We Paid For’, de Ayrton Paul.

“Para nós é super importante entender o lugar da distribuição e as janelas de circulação disponíveis e existentes como forma de fortalecimento de redes entre realizadores, curadores e outros profissionais do Cinema e áreas correlatas. Também é fundamental entender que a distribuição é uma parte importante do mercado audiovisual e que o que fazemos também é sobre geração de trabalho e amadurecimento de carreira. Então ter um festival de cinema capaz de existir e se firmar ao longo dos anos é tão importante quanto garantir que um realizador tenha a oportunidade de exibir seu filme nessas janelas”, afirmam .

Serviço:
I edição da Correnteza – Mostra Internacional de Cinema Atlântico

Quando: Quinta- feira (14) sábado (16)

Local:
Cinema da Fundação/Museu

Entrada gratuita.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.