É CONFUSO E ENIGMÁTICO O QUADRO SUCESSÓRIO ESTADUAL DO MARANHÃO

Na imprudente e vaidosa pretensão de Flávio Dino, de tentar um voo de anum para a presidência da República, o caldeirão político estadual ferve precocemente no Maranhão. Isso significa que, se confirmada esse mirabolante sonho, o comunista vai ter que renunciar dentro do prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral, mesmo que venha a optar por outra candidatura. Isto posto, assumirá o Governo do Estado, o vice Carlos Orleans Brandão Filho, que, de posse da caneta e das garras dos Leões, ganhará direito, estrutura e musculatura política para buscar sua permanência na poderosa cadeira leonina.

Confirmada essa possibilidade, o senador Weverton Rocha, do PDT, ameaça provocar um racha no arraial governista a pavimentar uma estrada paralela rumo à imponente toca dos Leões da avenida Pedro II. Com esse objetivo, é possível que o parlamentar abandone seu fantasioso estilo radical, para buscar apoios em outras tribos, até mesmo no espólio político de José Sarney.

Enquanto isso, vislumbra-se a nítida possibilidade de surgir uma nova e consistente via política, abrigando arrojadas lideranças que despontam com o timbre verdadeiro de novos rumos para o Maranhão. Nesse cenário, estão: Roberto Rocha, Josimar de Maranhãozinho, Maura Jorge, Eduardo Braide, Adriano Sarney e outros.

O termômetro desse clima é a eleição municipal de importantes municípios, como São Luis, Imperatriz, Caxias, Zé Doca, Timon Bacabal, Chapadinha, Balsas, Pinheiro, Codó e Santa Inês.

É óbvio que o quadro fica cada vez mais confuso e enigmático na capital, São Luis, onde uma sintonia fina entre o governador Flávio Dino e o prefeito Edvaldo Holanda Júnior, resultou na montagem de um consórcio de candidatos com vista em um eventual segundo turno. Nesse jogo, embora as forças palacianas tentem mascarar sua preferência, nunca foi segredo para as mentes apuradas e atentas aos acontecimentos, que o queridinho dos dois palácios é o jovem deputado Rubens Pereira Júnior, que apesar de gigantescos esforços nunca atingiu a marca de 2% nas pesquisas. Isso significa, que é quase impossível evitar que o franco favorito Eduardo Braide, seja o próximo prefeito de São Luis, vindo a dar mais fôlego a via alternativa que se desenha para 2.022.

J. J. Pereira – jornalista DRTMA 00613JP é curto e grosso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.