Carlos Brandão: Dia Nacional do Bumba Meu Boi

Lembro bem de artigos que escrevi, nos últimos dois anos, sobre o período junino. Muito especialmente de passagens referentes ao dia 30 de junho. Com o distanciamento, por conta da pandemia, as redes sociais foram o grande palco de nossas manifestações culturais. Ajudaram a perpetuar uma tradição que faz parte da vida dos maranhenses. Sou um apaixonado por nosso folclore, por nossa história. E essa paixão me motivou a apresentar um projeto de Lei para a instituição do Dia Nacional do Bumba Meu Boi, exatamente 30 de junho. À época, eu era deputado federal. A ideia foi aprovada pelo Congresso e sancionada pela Presidência da República, sob a lei n° 12.103/2009, que significa o reconhecimento da importância dessa manifestação popular para a cultura brasileira, considerada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como “Patrimônio Cultural do Brasil”.

Agora governador, não pensei duas vezes em possibilitar a realização do maior São João de todos os tempos no estado, saudando uma nova etapa de nossas vidas, pós-pandemia. Temos plena consciência de que ainda enfrentamos o vírus. Mas os avanços alcançados com a vacinação nos permitiram pensar na volta dos arraiais presenciais. E que maravilha está! As cidades foram inundadas por cores, danças e muita alegria. Quase seiscentas atrações, de diversas manifestações diferentes, se dividem por todo o Maranhão em apresentações que têm encantado não apenas os maranhenses mas, principalmente, os turistas, que já garantiram uma taxa de ocupação nos hotéis em torno de 70%. Aliás, movimentar a economia é um dos objetivos. Conversando com o presidente estadual da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Gustavo Araújo, fiquei sabendo que, só neste primeiro mês, já houve um aumento de cerca de 40% na movimentação de clientes para o setor. Trabalho e renda também para os 300 novos beneficiários do programa Mais Renda, que receberam seus kits e estão lucrando com os arraiais pelo Maranhão afora.

Quando propus a instituição da data comemorativa em alusão ao Bumba Meu Boi, que aliás é dia de São Marçal (quando os grupos de boi se encontram em uma bela festa em São Luís), não pensei apenas em homenagear a dança, o enredo. Pensei em valorizar as pessoas que fazem rodar essa grande máquina. Uma máquina de produzir beleza, alegria, satisfação e histórias que levaremos para tantas e tantas gerações. Uma homenagem àqueles que se dedicam em manter muito vivo esse elemento tão forte de nossa história, de nossa cultura. E como escreveu a professora doutora Leticia Cardoso, em artigo que li essa semana, “As cerimônias e os rituais do Bumba-Boi são atos comunicacionais”.

Estamos comunicando vida e dançando a força de um povo batalhador, que valoriza suas crenças e que tem renovado sua esperança de um grande futuro, nos trilhos da transformação que o governo vem executando. Então, vamos para o segundo mês de fortalecimento de nossas tradições. Nosso São João segue forte.

*Governador do Maranhão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.