Acadêmico retoma trabalhos sobre Arthur Azevedo

Maior autoridade na obra do maranhense Arthur Nabantino Gonçalves de Azevedo (1855-1908), o professor e acadêmico Antônio Martins de Araújo lança na 14ª edição da Feira do Livro de São Luís (FeliS) “Gravochadas”, retomando a divulgação da obra do dramaturgo, poeta, contista, prosador, comediógrafo, crítico e jornalista, que dominou o ambiente literário brasileiro nos séculos XVIII e XIX. A obra apresenta mais de mil epigramas, que, em literatura, são composições poéticas, breves e satíricas, que expressam, de forma incisiva, um pensamento ou um conceito malicioso).

Antônio Martins de Araújo é maranhense (n. 1932), mas reside no Rio de Janeiro há 57 anos. Graduado em Letras Neolatinas (Faculdade de Filosofia do Maranhão) e em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito do Maranhão. É Doutor em Letras Vernáculas (Literatura Brasileira) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, da qual e aposentado como professor de Língua Portuguesa. É membro das Academias Maranhense de Letras e da Brasileira de Filologia, que já presidiu e da qual é presidente de honra. Tem o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Estadual do Maranhão. Integrante de várias bancas examinadoras de graduações acadêmicas. Foi professor do Instituto de Língua Portuguesa e do Liceu Literário Português. Foi professor visitante da Universidade Federal do Acre (2008-2011).

Entre suas produções estão: Arthur Azevedo – a palavra e o riso; Noel Rosa – língua e estilo (em parceria com Castelar de Carvalho); e A herança de João de Barros e outros estudos; O peito do pelicano – ensaios maranhenses; Unidade e Variedade da Língua Portuguesa. Sua experiência na área de Letras engloba: Literatura Brasileira, atuando principalmente nos segmentos: Língua Portuguesa, Literatura Brasileira, Lingüística Aplicada, Literatura Amazônica, Literatura Acreana, Teatro de Arthur Azevedo, Poesia Lírica e Contos de Arthur Azevedo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.