Em Cururupu terceirizados da saúde denunciam atraso salarial que já perdura vários meses

CURURUPU (MA) – Servidores terceirizados, que prestam serviços à Secretaria Municipal de Saúde de Cururupu, através da empresa Lima Matos Irmãos Ltda, que mantém contrato com o órgão, procuraram o ICURURUPU para denunciar o atraso no pagamento dos salários, segundo os contratados, há caso que já vai completar 6 meses sem receber.

Segundo os denunciantes, estão com o atraso na remuneração os motoristas, entre outros servidores contratados. “A secretaria não repassa nenhuma informação pra gente, a empresa só diz que estão aguardando o repasse da prefeitura”, diz um servidor, que prefere não ter seu nome divulgado, com medo de represálias. Endividados e sobrevivendo a condições extremas, os trabalhadores relatam que estão passando necessidades por falta de pagamento, segundo eles, o comércio não os atende mais, uma vez que não há nem mesmo previsão de pagamento, explica um outro servidor que por medo de ser demitido pediu pra não divulgar seu nome.

A esperança dos trabalhadores é que a situação seja resolvida o mais rápido possível, pois a maioria das pessoas dependem unicamente do salário para pagar contas e fazer compras para suas famílias e subsistência.

Devendo e sem crédito na praça, os terceirizados da saúde descrevem a dificuldade para pagar suas contas e afirmam que estão se desdobrando para cumprir com seus compromissos financeiros mensais. “Infelizmente, tudo que a gente pode tentar fazer é tentar pegar emprestado com alguém. O cartão já estourou e a gente não têm como pagar”, relata dramaticamente um motorista ouvido pelo ICURURUPU.

Assim que tomamos conhecimento da situação, o ICURURUPU tentou por diversas vezes contato com Anderson Wesley Lima Matos, que aparece como sócio administrador da empresa, bem como com o seu sócio, que tem o mesmo sobrenome, Italo Raphael Lima Matos para que pudessem esclarecer a situação dos trabalhadores, mais sem sucesso.

A empresa Lima Matos Irmãos Ltda, que segundo a Receita Federal está situada na Av. Daniel de La Touche, 987 – Cohama (Shopping da Ilha, sala 807, 8º Andar), São Luís, não foi localizada para falar sobre a situação vivida pelos funcionários.

Uma vez que não conseguimos contato com os empresários, entramos em contato com o procurador do município de Cururupu, Dr. Ricardo Tadeu Matos Sousa, o qual prontamente nos respondeu dizendo que iria contatar a empresa para “averiguar junto à empresa o problema apontado”, ficamos aguardando durante toda tarde desta quinta-feira e início da manhã de hoje (17), mais não tivemos nenhuma resposta até o momento.

Em contato com a assessoria de comunicação da prefeitura de Cururupu, não tivemos uma nota oficial, mais tivemos a seguinte informação “Que devido a escassez de recursos ainda não foi honrado todos os pagamentos. A secretaria informou que está fazendo vários esforços para regularizar o mais rápido possível a situação”.

Ao que parece, os trabalhadores ainda terão que lidar com a situação por um bom tempo, pois não há uma previsão de quando terão seus vencimentos regularizados.

Auditoria Denasus

Uma auditoria do Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus), realizada no período de julho de 2018 a julho de 2019, ou seja, já na gestão da prefeita Professora Rosinha identificou dois contratos da Secretaria Municipal de Saúde de Cururupu com a empresa Lima Matos Irmãos Ltda, cujo montante é de R$ 926.376 para locação de veículos. Segundo os dados preliminares da auditoria, os veículo especificados no contrato não eram os mesmo disponibilizados pela empresa, além de não haver em nome da empresa nenhum veículo, e sim em nome de terceiros, que não foi comprovado nenhuma relação com a empresa.

A auditoria constatou que, conforme a relação de veículo assinado pela secretária de saúde, Raquel Borges Serra, datada de 18 de julho de 2019, e os Certificados de Registro de Licenciamento de Veículo (CRLV), foi possível constatar que, os veículos que estavam a serviços da secretaria municipal de saúde do município, não eram de propriedade da empresa Lima Matos Irmãos Ltda, e sim de pessoas físicas sem qualquer relação com a empresa, caracterizando a sublocação total em desacordo com o Edital e da cláusula décima primeira dos respectivos contratos, bem como uma afronta ao Art. 72 da Lei nº 8.666/93.

Outro dado apontado pelo relatório, afirma que, para 2018, constava uma relação de 8 veículo locado pela empresa Lima Matos Irmãos Ltda, e 7 veículo para o ano de 2019. Um dado que chamou atenção da auditoria foi que o edital e o contrato previa veículos novos, ou seja, zero km, quando na verdade os veículos a disposição da administração municipal de Cururupu era veículos usados e que não atendiam as especificações previstas do contrato, em total desconformidade com o que previa o contrato e o edital, ou seja, a prefeitura de Cururupu pagava carros zero km, porém os disponibilizados são carros usados e que sequer estão em nome da empresa prestadora do serviço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.