Empresário investigado pelo MP já faturou mais de R$ 5 milhões em Santa Luzia do Paruá

por

Denilson Wyds

Dono das empresas COMERCIAL GLOBAL EIRELI e D W COSTA MENDES – EPP, o empresário pinheirense, Denilson Wyds costa mendes, escolheu a prefeitura de Santa Luzia do Paruá, para ganhar cifras milionárias.

Há tempos que Denilson Wyds é presença garantida nos procedimentos licitatório da Prefeitura de Santa Luzia do Paruá, em consequência disso, se tornou detentor de inúmeros contratos públicos no município.

O empresário de Pinheiro, que achou um jeito fácil de ganhar dinheiro na prefeitura de Santa Luzia do Paruá, pode ter o esquema interrompido pelo Ministério Público, que já moveu um inquérito civil, com o objetivo de apurar supostas irregularidades na prestação dos serviços de Alimentação Escolar por parte do Município de Santa Luzia do Paruá/MA, durante os exercícios de 2017 e 2018. As empresas D W COSTA MENDES e COMERCIAL GLOBAL EIRELI (DENILSON WYDS COSTA MENDES – tiveram um prazo de 10 dias para fornecer os documentos ao MP, o processo de investigação ainda tramita sob sigilo na promotoria do município.

As duas empresas arroladas na denúncia que levou o MP, instaurar um inquérito civil, pertence ao empresário Denilson Wyds, se confirmado possíveis fraudes e precária prestação de serviço de merenda escolar, o empresário entestação, como é conhecido no meio, pode parar na cadeia.

Ainda de acordo com levantamento realizado pelo blog, as empresas de ” Wyds” já faturaram mais de cinco milhões de reais, na gestão do prefeito Plácido Holanda, apenas com a empresa Comercial Global, Wyds, assinou contratos acima de três milhões de reais, já com a D W COSTA MENDES, Wyds, assinou contratos acima de dois milhões de reais na gestão de Plácido.

O Jovem Milionário deve se preocupar e muito com o andamento das investigações sobre irregularidades na prestação de serviços de merenda escolar, ao município de Santa Luzia do Paruá, pois desvio de dinheiro do fundeb, é de competência da Policia Federal investigar.

Vale ressaltar que na época das denúncias, sobre a empresa de Wyds, e os contratos com a gestão de Plácido, existem relatos que alunos comiam sardinha com farinha, como merenda escolar.

Veja os contratos;

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.