Weverton Rocha participa do programa Sabatina Mirante e abre série de entrevistas com os candidatos ao governo.

O candidato ao governo do Maranhão, Weverton Rocha (PDT), foi o primeiro entrevistado no programa Sabatina Mirante, que deu início nesta segunda-feira (08) a uma série de entrevistas com os candidatos ao governo do estado. O candidato respondeu a perguntas com temas sorteados sobre Cultura; Saúde, Administração Pública e Educação. A entrevista foi comandada pelos jornalistas Gilberto Leda, Ronaldo Rocha e Carla Lima.

O primeiro tema escolhido foi Cultura. Weverton destacou que o Maranhão é um estado onde cada região oferece uma potencialidade cultural diferente e destacou que irá trabalhar com este potencial apara aliá-lo ao turismo e assim gerar renda e emprego para as regiões. “Vamos trabalhar com o potencial cultural de cada região. A cultura é produtiva. A Cultura é para o ano todo e não apenas em datas específicas. É preciso associar a cultura à indústria do turismo. Temos que potencializar a cultura do Maranhão como grande atrativo para o turista”, disse Weverton Rocha.

Ao ser questionado sobre pontos tradicionais de encontros culturais da capital, como o bairro do Madre Deus, que foram esvaziados no governo anterior, falou que, eleito governador, irá se reunir com os moradores e entidades destes locais para resolver como revitalizar. “Iremos sentar com moradores e entidades da Madre Deus e ver como revitalizar o local. Isso não quer dizer que a Beira-mar não será usada. Temos que incentivar e abrir o leque de ações. Vamos trabalhar com calendário durante o ano inteiro, para que aqueça a economia no setor”, destacou.

Weverton Rocha ressaltou ainda que irá se reunir com entidades ligadas aos vários eixos da cultura para que seja revisto o Plano Estadual de Cultura com estabelecimento de metas.

Saúde – O segundo item a ser escolhido foi a Saúde. Weverton Rocha falou que sempre enviou recursos para a saúde em toda a sua trajetória parlamentar. Falou do Hospital de Amor, já em funcionamento em Imperatriz e das Carretas de Amor que percorrem a região, fruto de emenda parlamentar de sua autoria. Falou da articulação para construção do Hospital Dr. Antonio Dino em Pinheiro e também da situação precária por que passa uma pessoa que precisa de atendimento.

“A política de saúde do estado, com em todo o Brasil, é ruim. É precária. As pessoas passam meses na fila à procura de atendimento. Como governador vou utilizar todos os esforços para trazer recursos para o Maranhão. Um caminho a seguir é através dos municípios. Serei um governador municipalista. Veja quanto custa um hospital do estado e um municipal. Vou citar o exemplo do Hospital Municipal de Igarapé Grande, que atende a toda a região e tem indústria de oxigênio que, no período da pandemia, socorreu os municípios vizinhos. Esse é um exemplo de parceria que vamos trabalhar. Não importa se o prefeito não me apoia, pois eu vou ajudar o município. Quando você despreza um prefeito, por não ter lhe dado apoio, na verdade você está desprezando a população”, disse Weverton Rocha.

Outro ponto ressaltado foi a questão de desvio de recursos e custeio para os profissionais da enfermagem e técnicos. “A política de saúde, e as demais políticas públicas, só tem uma entrada que é através das prefeitura. O governo tem os órgãos de controle que mostram o envio destes recursos. Não existe nada secreto. Está tudo aí e pode ser comprovado. Quero aproveitar para parabenizar profissionais da saúde, em especial enfermeiros, técnicos de enfermagem e parteiras. Este reconhecido tinha, e foi dado, aos profissionais. Temos que cortar gastos supérfluos e investir nas pessoas, nos profissionais que estão na linha de frente. Temos que chamar nossos concursados. Para isso temos que ter a disposição de fazer as mudanças e cortes necessários”, explicou.

Administração Pública- Terceiro ponto sorteado a Administração Pública abriu espaço para Weverton Rocha sobre a questão da redução do ICMS, endividamento do estado e atração de recursos.

“O Maranhão foi o último estado na questão da redução da alíquota de imposto, e foi feito de forma sempre a ganhar mais tempo para o governo em detrimento da população. Outra medida equivocada foi a suspensão de pagamento de empréstimo por parte do governo Brandão. Este pagamento é semestral e seria pago uma parcela em julho e o dinheiro já deveria estar aprovisionado, não teve nada a ver com redução de imposto. Este é um problema que teremos que enfrentar. Como governador tenho a meta de honrar a dívida do Estado, mesmo porque não vamos deixar prejudicar o Fundo de Participação do Estado, que é dado como garantia a este empréstimo”, disse Weverton Rocha destacando ainda a necessidade de atrair negócios para o Estado.

“Precisamos trazer novos investidores. Precisamos atrair pessoas para que faça a roda da economia girar. Temos que cortar privilégios. Temos que gerar incentivos para gerar emprego e renda. Temos que parar com a política predatória contra os pequenos, onde o menor paga 17 % e o maior 2%. Isso não pode dar certo. Temos que montar a logística para receber os novos empreendedores. Vamos fazer uma política de desenvolvimento. No meu governo vou zerar os impostos dos produtos da cesta básica, para ajudar os que mais necessitam. Vamos sempre buscar a direção correta para o povo do Maranhão”, disse Weverton Rocha que encerrou este tópico falando da crise de mobilidade no Maranhão.

“O Ferry boat é um problema de gestão pública. Vamos enfrentar este problema de frente. Vamos dar uma solução. Chega de tanta humilhação com a população da Baixada e de quem precisa usar este meio de deslocamento. Temos que ver a questão das nossas estradas, que estão praticamente intransitáveis. Não dá para trazer investidores se não podem chegar no Estado”, disse Weverton Rocha.

O último tópico da Sabatina foi Educação. Weverton Rocha falou dos planos para desenvolver a educação no Maranhão.

“Tenho compromisso com a bandeira do meu partido PDT , que sempre foi a educação. Vamos trabalhar o modelo do tempo integral, com um leque amplo para nossos alunos. Vamos levar este modelo a todo estado. Não é aceitável que nossas crianças passem de ano sem aprender nada. É este o modelo que vamos trabalhar. A prefeita de Vitorino Freire, encarou o desafio de fazer diferente e hoje as crianças de lá estão alfabetizadas e passando pelas séries de forma correta, com aprendizado. Temos que fazer um pacto para superar o analfabetismo e levar mais conhecimento para a nossa juventude. Temos que prepará-los para o futuro”, disse Weverton Rocha.

Ao ser questionado por que só agora discordava da política de educação e de outras políticas do governador Flávio Dino, Weverton explicou: “Temos que ter a coragem de virar a chave. Eu, ao longo de todo da minha vida sempre aprendo a cada espaço que ocupo e com as pessoas que estão junto conosco. Vamos trabalhar com o conhecimento que aprendo todo dia com a vida pública e com essa frente ampla em prol do Maranhão. Temos que ter oportunidade de seguir outro caminho. Eu já vinha discordando do grupo que fazia parte desde a eleição municipal. Eu não sou marionete de ninguém.

Eu sigo no mesmo lugar. Eu não fiz campanha, por exemplo, dizendo que Sarney era o pior do Maranhão e agora está junto com Sarney por poder. As pessoas precisam saber ouvir. Saber que não é único no que faz. Eu nunca votei com a família Sarney, mas o programa Primeiro Emprego da Roseana foi muito bom e irei reeditá-lo”, destacou Weverton Rocha que ao final agradeceu o espaço e convidou todos a conhecerem as suas propostas.

“Agradeço ao grupo Mirante de Comunicação por esta oportunidade e quero dizer que o Maranhão tem como dar certo. Eu tenho a coragem de virar a chave. De fazer as coisas acontecerem. Vamos gerar emprego e renda. Tudo que deu certo vamos incentivar e o que não deu vamos mudar. Vamos caminhar juntos”, finalizou Weverton Rocha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.