Fundaj lança programação junina

Arraial Solidário de Seu Nabuco será de 17 a 19 de junho, das 17h às 21h, com apresentações musicais, exposição e oficinas educativas abertas ao público

A programação que vai marcar as celebrações de São João da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) foi lançada nesta segunda-feira (13). No dia em que é comemorado Santo Antônio, o ‘Arraial Solidário de seu Nabuco’ foi anunciado no hall do Museu do Homem do Nordeste (Muhne) pelo presidente da Casa, Antônio Campos. O momento contou com o diretor de Memória Educação, Cultura e Arte da Fundaj, Mario Helio, e do secretário de Relações Internacionais de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto. Na programação, aula espetáculo, filme, apresentações musicais, brincadeiras e exposição.

“É preciso acender a fogueira da esperança e da solidariedade, pois ninguém luta sem esperança. É importante a manutenção de festas populares como a festa do nordestino, que é o São João. Festa faz parte da formação de identidade dos povos e das civilizações”, celebrou Antônio Campos.

Durante a festa junina da Fundaj, o amparo ao próximo será reforçado. O público que for ao campus Gilberto Freyre, em Casa Forte, onde o evento será centralizado, pode colaborar com a doação de roupas, colchões, itens de higiene pessoal e alimentos não perecíveis. A instituição está fazendo a arrecadação e entregando para a distribuição da Central Única das Favelas em Pernambuco (Cufa/PE), ajudando as famílias atingidas pelas fortes chuvas das últimas semanas.

Além da ação solidária, um dos destaques da programação cultural, que vai acontecer entre os dias 17 e 19 de junho, é a exposição “Devoção e Diversão: as tradições do São João nordestino”, na Sala Waldemar Valente. Realizada pela Biblioteca Blanche Knopf, a mostra foi aberta hoje e conta a história dos três santos do ciclo junino: Santo Antônio, São João e São Pedro. Ela é um resgate às tradições do ciclo junino no Nordeste, por uma perspectiva religiosa e lúdica.

Os visitantes podem conhecer peças como fotos, folhetos, livros, reprodução de superstições, como as simpatias da faca na bananeira, da aliança no copo d´água e da flor embaixo do travesseiro, e de brincadeiras populares, incluindo jogo de argolas e pescarias. Os itens fazem parte do acervo da Fundaj e foram adquiridos entre as décadas de 1960 e 1980 e produzidos por artistas pernambucanos de Caruaru e Carpina.

A servidora pública Maria do Carmo Maia visitou a exposição e resgatou as lembranças que tem do São João. “Costumo passar a festa no interior. E nestes dois últimos anos, devido à pandemia, não vi nada de São João. Essa exposição mexeu com a minha memória afetiva”, comentou. A visitação segue até 13 de julho, de terça às sextas-feiras, das 9h às 17h, e nos finais de semana e feriados das 13h às 17h.

Mario Helio, diretor de Memória, Educação, Cultura e Arte da Fundaj, destacou a importância das festas juninas enquanto patrimônio da região e celebração à cultura ibérica. “Como se não bastasse toda a riqueza desse período, temos uma série de rituais e músicas, que fazem desse ciclo o mais rico, complexo e diversificado”, disse.

Programação

Outras formas de expressão cultural serão exploradas na programação de São João da Fundaj. Ações do educativo do Muhne, brincadeiras, atrações musicais, gastronomia local e o espetáculo “Bandeira de São João”, de Ronaldo Correia de Brito, Antonio Madureira e Assis Lima, compõem as atividades juninas.

Durante os três dias de programação, crianças e toda a família poderão participar das atividades que remetem o imaginário forte do nordestino. O público também vai celebrar os ritmos locais com apresentações de artistas como Ed Carlos, Erica Natuza, Novinho da Paraíba, Cilene Araújo, Dudu do Acordeon e Mestre Zeca do Rolete, além do Coral da Fundaj e da apresentação da quadrilha junina Raio de Sol.

“Foi muito importante esse convite. É praticamente a abertura da minha agenda de shows e estou feliz de ter sido aqui, acho que a Fundação Joaquim Nabuco é um espaço essencial para a cultura pernambucana”, comentou a cantora Cilene Araújo. Os artistas estarão, junto aos visitantes, se reconectando com a festa, depois de dois anos de bandeirinhas enfeitando apenas as salas das casas.

Programação

Exposição “Devoção e Diversão: as tradições do São João nordestino”
Sala Waldemar Valente
De 13 de junho a 13 de julho
Terça às sextas-feiras das 9h às 17h
Fim de semana e feriados das 13h às 17h

Exibição do Festival São João Sinfônico
Cinema da Fundação/Museu – Av. Dezessete de Agosto, 2187 – Casa Forte
Sessões: 19h, 20h e 21h
Entrada gratuita
17 a 19 – Aberto ao público

Oficinas Educativas
17h – Visita guiada à exposição “Devoção e Diversão: as tradições do São João nordestino” na Waldemar Valente, seguida da oficina “Noites Festivas de São João”
18h – Visita guiada à exposição “Devoção e Diversão: as tradições do São João nordestino” na Waldemar Valente, seguida da oficina “Símbolos Juninos”

Brincadeiras
Barracas com pescaria, jogo de argolas e touro mecânico.
Pólo Gastronômico
Barracas de comidas típicas juninas.

Apresentações

17/06 14h às 16h – São João dos colaboradores da Fundaj
Bingo junino e Banda Vinil Gonzagueira
Abertas ao público

17h – Coral da Fundaj
18h – Quadrilha Junina Raio de Sol
19h – Ed Carlos
20h – Érica Natuza

18/06- Aberto ao público
17h – Aula espetáculo Bandeira de São João
A aula espetáculo Bandeira de São João será representada na Fundação Joaquim Nabuco, numa festa com fogueira, cortejo de Acorda Povo e histórias sobre a origem de uma das mais populares festas brasileiras, sobretudo no Nordeste. São 12 músicas compostas pelo maestro e compositor Antônio Madureira, em parceria com os letristas Ronaldo Correia de Brito e Assis Lima, formando um painel único de musicalidade do ciclo junino
19h – Novinho da Paraíba
20h – Cilene Araújo

19/06 – Aberto ao público
17h – Apresentação do Mestre Zeca do Rolete (coco e ciranda)
18h – Bacamarte
19h – Quadrilha Junina Raio de Sol
20h – Dudu do Acordeon

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.