Coleção Travessia chega às bibliotecas de Cabo Verde

Realizada pela Editora Massangana, da Fundaj, a coleção possibilita que crianças e professores possam transformar as vidas e contextos a partir do poder da literatura

Lançada pela Editora Massangana, da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), a Coleção Travessia chega ao continente africano, por meio de uma parceria com a Biblioteca Nacional de Cabo Verde . A distribuição dos 500 exemplares para as bibliotecas públicas do país, está prevista para ocorrer em abril.

Criada para que crianças e professores, que têm como berço a língua portuguesa, sobretudo em Cabo Verde e no Brasil, possam transformar as suas vidas e seus contextos a partir da leitura, a Coleção Travessia é composta por três títulos de ficção com abordagem em direitos humanos: “Tudo tem Cor”, de Sandro Cozza Sayão; “Olha o Mundo!”, de Luana Freire; e “Os Sapatos de Amarati”, de Joana Cavalcanti.

As ilustrações são do designer Maurizio Manzo. As obras buscam incentivar a reflexão crítica, construindo ‘mundos no mundo’ por meio da solidariedade, da empatia e do respeito ao próximo. O nome do projeto, inclusive, é uma forma de proporcionar uma travessia para a superação de realidades distintas.

A escritora e professora Joana Cavalcanti acredita que o acesso aos livros, quando tratado como uma realidade possível de acontecer, atravessa várias fronteiras: sociais, econômicas e ideológicas. “A leitura é um instrumento poderoso de transformação social, uma alavanca determinante de apropriação da realidade. O meu sentimento como escritora é de partilha e de uma imensa gratidão aos leitores por receberem as personagens com tanta generosidade”, afirma. “Os Sapatos de Amarati está no mundo a produzir sentidos. Que cada livro da coleção possa transformar e ampliar a realidade de cada leitor e seja expandido para cada leitor”, completa Joana.

Outros títulos

As histórias do livro “Olha o Mundo!” trazem uma mensagem sobre diferença e aceitação. “Acredito profundamente que as crianças são capazes de entender os pensamentos da obra. No fundo é uma maneira de falar com os mais novos sobre muitas realidades, trazendo leveza para assuntos que, muitas vezes, os adultos encaram de forma controversa, como cor, gênero, liberdade, medo, tristeza, aceitação, autoestima”, conta Luana Freire.

“Tudo tem Cor”, por sua vez, tem como mote a pluralidade. “Ela trata da diversidade, mostrando o nosso mundo colorido, recheado de cores. Trago também uma reflexão de como seria monótono o mundo se tudo fosse igual. A maravilha da vida é a pluralidade. Com cores diferentes, a diversidade é construída e forma aquilo que chamo de humano”, diz Sandro Cozza Sayão.

A parceria

O Acordo de Cooperação foi feito entre a Agência Brasileira de Cooperação, Fundaj, Biblioteca Nacional de Cabo Verde, Embaixada do Brasil em Cabo Verde e o Ministério da Cultura do país africano. Além da Coleção Travessia, o projeto também contempla a doação de mil exemplares de diversos títulos publicados pela Editora Massangana, que já estão sendo doados nas escolas de Cabo Verde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.