[FUNDAJ] Fundaj realiza “Natal dos Bons Ventos” em parceria com a Paróquia de Casa Forte

Foto: Malu Didier

Com tema inspirado em poesia de Joaquim Cardozo, programação reúne espetáculos, shows, oficinas, exposições e campanhas solidárias

Fundação Joaquim Nabuco realiza em dezembro o Natal dos Bons Ventos, temática inspirada no poema “Congresso dos Ventos”, do pernambucano Joaquim Cardozo. Na poesia, correntes de ar do mundo todo se reúnem na várzea do Capibaribe para discutir suas vidas, celebrar o encontro e exprimir o que estão esperando para o futuro do mundo no qual habitam. A programação, que será lançada no dia 1º de dezembro, às 17h, no campus Gilberto Freyre, em Casa Forte, é realizada em parceria com a Paróquia de Casa Forte e reúne espetáculos, exposições, oficinas educativas e campanhas solidárias.

“Estamos realizando o Natal dos Bons Ventos, trazendo um poema de Joaquim Cardozo, esse grande poeta pernambucano. Oferecemos apresentações culturais, exibições de filmes e oficinas que reforçam ainda mais o caráter da Fundaj de integrar a cidade e as comunidades no seu dia a dia, assim como os ventos decidiram se juntar nos versos de Cardozo”, ressalta o presidente da Fundaj, Antônio Campos.

O texto de Cardozo, ressalta o diretor de Memória, Educação, Cultura e Arte (Dimeca), Mario Helio, é longo e complexo, traz diversas referências culturais importantes, inclusive de autores que não são conhecidos da maioria. Mas o seu discurso, observa, é claro e sugestivo, centrado no Nordeste, e com uma mensagem de congraçamento. “Adota-se, sobretudo, a ideia implícita dos ‘bons ventos’, que não é só uma expressão das tantas superstições que invocam a sorte e a fortuna, a cada nascimento, a cada fim e recomeço de ciclo”, explica. Para ele, a escolha do poema reflete o período que vivemos e o que vislumbramos para o futuro. “Não somos apenas o pó da terra e das estrelas, somos o vento, respiramos. E em dois anos de quase de sufocação, é importante, manter a plenos pulmões o espírito de Natal, que é a fraternidade”, complementa, apontando também que a programação deste natal reflete a diversidade da diretoria e de seus acervos, assim como o constante esforço por acessibilidade e conexão com o público.

Foto: Malu Didier

Baile

É dentro desse cenário de pluralidade e acolhimento da cultura popular nordestina que o Natal dos Bons Ventos abrigará duas novas realizações de um dos mais tradicionais espetáculos natalinos do Brasil, O Baile do Menino Deus. A primeira delas, a partir da impossibilidade de ocupar o Marco Zero, é a versão cinematográfica do espetáculo, que fará sua estreia no Cinema da Fundação no dia 18. “Neste ano montamos um roteiro cinematográfico, com uma nova dramaturgia, com os mesmos personagens, mas reinventando situações, além de estabelecer diálogos entre canções nossas de 40 anos com novos elementos, como grupos de dança de rua e hip-hop, por exemplo”, elabora Ronaldo Correia de Brito, coautor original do Baile.

Além do filme, gravado no Teatro Santa Isabel e em diversas locações pelas ruas do Recife, o espetáculo também chega em uma nova versão apresentada presencialmente no pátio da Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, no Poço da Panela. Batizado de “O Baile Vai Começar”, a apresentação conta com a presença dos mais cativantes personagens do baile em uma estrutura de palco e orquestra reduzidas e uma nova dinâmica teatral. A apresentação será no dia 17 de dezembro. “Pra mim, de certa maneira, é como se o baile realmente acontecesse, tanto ele sendo realizado com esse espetáculo, trazendo a natureza a qual foi criado, como com a versão cinematográfica que pode chegar em milhares de pessoas. Tanto quem conferir presencialmente, como quem assistir o filme ou a transmissão do Baile Vai Começar, são verdadeiros privilegiados”, complementa Ronaldo.

Quem também abraça o natal a partir da nordestinidade dentro de nossa programação cultural é o projeto Natal Sanfonado, com 14 anos de estrada. O que começou como um projeto que colocava jingles natalinos em ritmo de forró foi se transformando em um projeto robusto, que coloca manifestações culturais locais como os mamulengos, o cavalo-marinho, danças e um auto natalino tipicamente da terra. A apresentação será no campus Gilberto Freyre, no dia 18, às 16h.

“Eu sou um apaixonado pelo natal. Aprecio o americano e o europeu, mas o nosso é muito diferente, é feito em outra temperatura, sem neve e temos muitos elementos diferentes. Então, nosso projeto trabalha justamente para inserir essa identidade nordestina na festa, buscando se aproximar da cultura popular, também trabalhando para que ele se aproxime do movimento armorial. Queremos fazer uma versão nossa que as pessoas valorizem, tanto as daqui, como turistas”, explica Júlio Leal, produtor e fundador do Natal Sanfonado. A apresentação na Fundaj contará com as participações de Irah Caldeira, Rogério Rangel, André Macambira, Andrezza Formiga e Roberto Cruz.

Exposições

As infâncias e as manifestações natalinas tipicamente nordestinas também povoam o Natal dos Bons Ventos, com a realização de três exposições distintas, mas que estabelecem diálogos entre si. Os jardins do Museu do Homem do Nordeste são ocupados pelas fotografias de João Roberto Ripper que retratam diferentes brincadeiras populares entre crianças periféricas da região. Já a Galeria Waldemar Valente recebe uma parte do extenso acervo de brinquedos artesanais regionais do Museu e a Galeria Baobá expõe diferentes materiais da Biblioteca Blanche Knopf sobre folguedos natalinos.

“A gente quer mostrar que brincar não é só um divertimento infantil. Brincar é uma atividade de formação da criança, de educação, de desenvolvimento físico e mental. Estamos celebrando os brinquedos e as brincadeiras e queremos integrar isso a um clima de esperanças no horizonte. Contextualizamos essas exposições de brinquedos e brincadeiras com artigos do Estatuto da Criança e do Adolescente que versam justamente sobre o direito da criança de brincar, se divertir e ter acesso à cultura”, explica Antônio Montenegro, coordenador de exposições do Museu do Homem do Nordeste.

As exposições são uma oportunidade de fazer circular o acervo tão plural da Fundaj, ao mesmo tempo em que proporcionam um fortalecimento das expressões culturais regionais que se manifestam durante todo o ano. “Achamos interessante mostrar, através do nosso acervo, uma coleção bem diversificada, como uma oportunidade para as pessoas conhecerem a dança, a música e a teatralidade existente nos folguedos natalinos”, explica Nadja Tenório, coordenadora da Biblioteca, sobre a exposição Natividade em Folguedos. “É uma forma de resgatar essas grandes manifestações folclóricas, importantes para nossa região Nordeste, fazendo com que as pessoas conheçam ainda mais a própria cultura”, complementa.

A expectativa é de que essas iniciativas também marquem um momento de retomada gradual das atividades culturais e de esperança em dias mais tranquilos. “ A celebração do brinquedo e do ato de brincar vem para criar um clima mais agradável e positivo para o futuro. Queremos passar essa mensagem de um natal que simboliza uma dimensão de retomada e que ele se integre a um clima de esperança para esse próximo ano”, conclui Montenegro.

Oficinas

Já o Museu do Homem do Nordeste encerra o ano com mais uma agenda de atividades educativas, que contemplará 450 crianças e adolescentes de diversas localidades da Região Metropolitana do Recife. Serão oferecidas oficinas de sacola retornável, presentes de natal, enfeites natalinos e sobre a vida e obra de Joaquim Cardozo.

“O Natal dos Bons Ventos marca a retomada dos trabalhos com as comunidades vizinhas ao Museu e com instituições que são parceiras dos trabalhos educativos desenvolvidos por toda a equipe. São essas mais de 10 comunidades representadas por quase 500 crianças que tomarão os corredores, as salas de exposição e os jardins do Museu ao longo de 2022, em um trabalho que está apenas começando e que contempla além dos moradores do entorno da Fundaj, outros municípios da Região Metropolitana do Recife, de Olinda a Jaboatão dos Guararapes”, afirma Edna Silva, coordenadora do educativo do Muhne.

Edna aponta que a programação de natal também marca o retorno dos agendamentos de grupos escolares, grandes movimentadores das ações do Muhne antes da pandemia. “Enquanto educadores, a nossa expectativa é de grande sucesso e acolhida, de alegria não só para aqueles que participarão das ações, mas também a felicidade é prazer de toda a equipe em retomar a proximidade com nosso público”, complementa Edna.

Uma das parcerias deste fim de ano é com a Casa da Criança Marcelo Asfora, localizada em Casa Forte e que completou 30 anos de luta pela formação educacional, cultural e humana de crianças socialmente vulneráveis de oito comunidades (Bananal, Cabocó, Nossa Senhora da Conceição, Poço da Panela, Lemos Torres, Santana, Vila Esperança e Vila Vintém). “Essa proposta de atividades e oficinas é fantástica para nossa criançada, mais uma oportunidade de cultura, de conhecimento. É uma parceria bem diferente do que a gente tem aqui, vai ser bem interessante para a garotada, novos trabalhos lúdicos com assistência e profissionais do Museu. Começar essa parceria com a Fundaj é algo muito importante para nós, todos os nossos parceiros são primordiais para nós. É de suma importância que essas crianças tenham acesso à cultura e ao conhecimento dessa forma”, afirma Flora Pessôa, presidente da Casa Marcelo Asfora.

Campanha Solidária
Durante todo o período, também estará sendo realizada a campanha Fundaj Solidária, que receberá doações de livros, alimentos não-perecíveis, roupas e brinquedos nos campi Casa Forte, Apipucos, Derby e no Engenho Massangana. A doação pode ser feita em qualquer dia da semana, das 9h às 17h.

Confira a programação completa:

EXPOSIÇÕES

Brinquedos

Exposição de brinquedos artesanais populares do acervo do Museu
Local: Galeria Waldemar Valente
Campus Gilberto Freyre
Período: De 1º/12 a 30/1/2022

Brincadeiras

Exposição sobre brincadeiras tradicionais – Fotografias de João Roberto Ripper
Local: Jardins do Museu do Homem do Nordeste
Campus Gilberto Freyre
Período: De 1º/12 a 30/1/2022

Natividade em Folguedos

Exposição sobre os folguedos natalinos
Local: Galeria Baobá
Campus Gilberto Freyre
Período: De 1º/12 a 30/1/2022

AÇÕES

16 de dezembro

16h – Culto Ecumênico
Local: Campus Gilberto Freyre
Aberto ao público

17h – Cantata Natalina
Coral da Fundaj – formado por servidores da Instituição
Coral Viver Casa Forte – formado por membros da Paróquia de Casa Forte.
Local: Campus Gilberto Freyre
Aberto ao público

17 de dezembro

18h – Espetáculo o “Baile vai Começar”
Local:Pátio da Igreja de Nossa Senhora da Saúde
Aberto ao público

18 de dezembro

16h – Espetáculo “Natal Sanfonado”
Local: Campus Gilberto Freyre

18h – Estreia do filme “Baile do Menino Deus”
Sessões às 18h, 19h30 e 21h
Local: Cinema do Museu

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.