Neto Evangelista garante implantação do primeiro Centro Cirúrgico Oftalmológico Veterinário do Nordeste, em São Luís.

O candidato a prefeito de São Luís, Neto Evangelista (DEM), garantiu, por meio de recursos de emenda parlamentar de sua autoria, a implantação do primeiro Centro Cirúrgico Oftalmológico Veterinário da região Nordeste, no hospital veterinário da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), em São Luís.

O anúncio foi feito no dia em que se comemorou o Dia do Médico Veterinário (9 de setembro), durante reunião com o diretor do hospital veterinário da Uema, médico veterinário José Arnodson; o médico veterinário Nordman Wall; a médica, ativista animal e candidata à vereadora pelo Democratas, Diana Serra, e o empresário e radialista Nodson Junior.

Neto contou que, durante uma visita ao hospital veterinário da Uema, lhe foi apresentada a necessidade da instalação de um centro cirúrgico oftalmológico. “De imediato iniciamos um diálogo com o Governo do Estado até o momento em que houve a liberação do recurso para a aquisição dos equipamentos, com o objetivo de melhorar e ampliar os atendimentos aos animais”, disse.

Ainda segundo Evangelista, o centro cirúrgico será um equipamento que beneficiará toda cidade, na medida em que possibilitará cuidados com os animais de pequeno porte como cães e gatos; oportunizará especialização aos profissionais universitários, entre outros.

“Estou muito orgulhoso com essa conquista. Os recursos já estão disponíveis na Uema e, em breve, o primeiro Centro Cirúrgico de Animais de pequenos portes do Nordeste brasileiro será uma realidade”, comemorou.

O médico-veterinário e diretor do Hospital Veterinário da Uema, José Arnodson, destacou a iniciativa de Neto Evangelista em permitir que a Uema tenha o primeiro centro cirúrgico de animais de pequeno porte do Nordeste brasileiro.

“É uma grande satisfação receber esse presente do Neto Evangelista, oferecendo um kit completo para fazer cirurgias oftalmológicas nos animais que tiverem necessidade. Era uma necessidade muito grande do nosso hospital e a procura era muito grande por cirurgias”, afirmou.

Para o médico veterinário Tiago Barbalho, os novos equipamentos vão melhorar e ampliar as opções de atendimento em oftalmologia de pequenos animais, mas também, de grandes animais, ocasionalmente.

“Nosso objetivo é chegar a um nível de atendimento das melhores escolas e das melhores clínicas especializadas no Brasil e até no mundo com esses equipamentos”.

Além disso, segundo Dr. Tiago, o centro cirúrgico oportunizará aos alunos residentes do hospital veterinário uma prática mais aprofundada, bem como, oportunizará a realização de pesquisas a partir das novas condições, dos novos tratamentos e novas abordagens com coleta de dados e informações de toda produção do dia-a-dia na rotina clínica.

“Com os novos equipamentos vamos poder realizar procedimentos de alta complexidade, como cirurgia de catarata por Facoemulsificação ou com pequena incisão; o microscópico cirúrgico, cirurgias intraoculares, blefaroplastia, cirurgia de córnea, entre outros. Ou seja, qualquer cirurgia microscópica poderá ser realizada e o diagnóstico será muito mais preciso”, completou Dr Tiago.

O médico-veterinário Nordman Wall também elogiou a liberação da emenda para a implantação do centro cirúrgico oftalmológico animal no Hospital Veterinário da Uema, importante para todo o estado, Nordeste e até para o Norte, principalmente agora que os animais são tratados como filhos e vivem muito mais.

“É uma especialidade extremamente necessária. Os animais vivem facilmente mais de cinco anos quando as doenças oftalmológicas começam a aparecer. Não tínhamos como fazer cirurgias de cataras e glaucomas, que se resolvem através das cirurgias. Vai ser um cento no qual se pode treinar toda cidade e permitir melhor qualidade de vida ao animal”, explicou. O especialista ressaltou que tinha equipamentos para treinar, mas precisava sair do estado para estudar.

Dra. Diana, médica humana, ativista em defesa dos animais e pré-candidata a vereadora pelo Democratas, acompanhou Neto no anúncio da liberação dos recursos, classificando o momento de ímpar. “É um momento ímpar, que a gente já almejava há muito tempo, até porque os animais adoecem como nós e, principalmente, com doenças oftalmológicas e a gente não tinha como tratar. Principalmente os animais de ruas que a gente encontra até cegos e sofrendo maus tratos”, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.