Em Apicum-Açu, empresa de fachada já recebeu milhões

A utilização das empresas de fachada sempre foi um prato cheio para desviar recursos públicos no Maranhão. Na pequena cidade de Apicum-Açu, um caso semelhando da utilização desse tipo de empresa vem acontecendo desde o início da administração do prefeito Cláudio Cunha.

Localizada na Praça da Rodoviária, nº 115, Centro do município de Bom Jardim, esse é o endereço da CES Construção e Empreendimentos e Serviços (CNPJ: 07.806.312/0001-36), que tem como dono  Izaque Gomes Araújo (na imagem abaixo).

A empresa se resume apenas essa salinha de pintura encardida e placa vívida com a marca da CES (ao lado do bar na Nildas), como revela a foto acima. Porém, essa empresa não funciona no local indicado, é portanto, tudo de fachada.

Izaque é esposo da sobrinha de Alcionildo Matos, pré-candidato a prefeito de Bom Jardim e apontado como agiota que atua diversos municípios maranhenses.

A CES já recebeu milhões por meio de transferências bancária da prefeitura de Apicum-Açu, sob o comando do prefeito Claudio Cunha.

Em um dos tantos contratos que a empresa venceu na cidade, o valor é de R$ 710.420,32 (setecentos e dez mil e quatrocentos e vinte reais e trinta e dois centavos) destinado apenas a construção de muros em unidades da educação básica do município. Essa licitação já possui cinco termos aditivos (VEJA ABAIXO).

Em outra licitação para prestação de serviços de engenharia civil de manutenção predial de Unidades Básicas de Saúde foram R$ 516.684,77 (quinhentos e dezesseis mil e seiscentos e oitenta e quatro reais e setenta e sete centavos).

Para implantação de pavimentação em bloquete em Apicum-Açu foram duas licitações, uma de R$ 321.579,46 (trezentos e vinte e um mil e setecentos e setenta e nove reais e quarenta e seis centavos) e outra de R$ 470.171,42 (quatrocentos e setenta mil e cento e setenta e um reais e quarenta e dois centavos).

Embora a CES não possua nenhuma máquina em seu registro contábil, a empresa ganhou o valor global de R$ 749.760,00 (setecentos e quarenta e nove mil e setecentos e sessenta reais) para locação de maquinas pesadas na gestão do prefeito Cunha.

Esses são apenas parte dos contratos entre a CES e a prefeitura apicuense. Até 2016, a empresa possuía registro fantasma em uma sala de um prédio no Jardim Renascença em São Luís e nos últimos anos mudou o registro para a cidade de Bom Jardim, onde atua apenas como firma de fachada.

Esse caso envolvendo a CES e o prefeito Cláudio Cunha deve repercutir muito, sobretudo nas garras do Ministério Público…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.