Segurança da prefeita de Cururupu é conduzido até a Delegacia acusado de Tráfico de entorpecentes

Fonte: Portal Icururupu

CURURUPPU – Mariton Mendes, mais conhecido pelo apelido “Quininho”, o qual segundo relato é segurança da prefeita de Cururupu, professora Rosinha, foi conduzido até a delegacia de Polícia Civil do município no último domingo (9), acusado de tráfico de entorpecentes [entorpecente é uma substância natural ou sintética que provoca alterações físicas e psíquicas nas pessoas que as ingerem, além de dependência química e psicológica], no bairro Ponta da Areia em Cururupu, nas proximidades de um posto de combustível, que fica nas margens da MA 303. De acordo com informações do 25º Batalhão de Polícia de Cururupu, uma guarnição foi informada através de denuncia que o indivíduo conhecido como “Quininho” estava comercializando drogas ilícitas (entorpecentes), no interior de uma festa que acontecia no local.

A polícia informa que ao chegar ao local, e conduzindo o acusado para fora do recinto, para que os procedimentos fossem adotados, e dessa forma averiguado a veracidade ou não da denuncia, “Quininho” como é conhecido teria dispensado o material que estava em seu poder, porém um dos policiais teria observado a manobra do acusado, momento em que a guarnição lhe deu ordem de prisão, a qual foi rechaçada pelo acusado, sendo necessário o uso da força para que o mesmo fosse conduzido. A polícia informa ainda que por resistir a prisão, e pela necessidade de imobiliza-lo, o acusado teria sofrido uma lesão na perna direita.

Com o acusado a polícia teria encontrado nove (09) frascos de uma substância análoga à droga conhecida popularmente como Loló. Segundo informações, o mesmo teria sido atuado pelo Artigo 278 do Código Penal Brasileiro.

Art. 278 – Fabricar, vender, expor à venda, ter em depósito para vender ou, de qualquer forma, entregar a consumo coisa ou substância nociva à saúde, ainda que não destinada à alimentação ou a fim medicinal, pena – detenção, de um a três anos, e multa.

Diante dos fatos, e comprovada comercialização de droga ilícitas, o acusado foi apresentado na Delegacia na presença de seu advogado. Segundo informações, “Quininho” pagou fiança e foi posto em liberdade, e deve responder pelo crime de tráfico de entorpecentes. Esta última informação não foi confirmada pela autoridade policial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *